AILTON ELISIÁRIO
Nulla dies sine linea
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
MATUSALÉM
Durante estes dias de Carnaval fiz a leitura do livro Matusalém escrito por Manuel Figueiredo. Trata-se de uma história de ficção criada pelo autor, na qual Matusalém, o personagem longevo da Bíblia, preguiçoso que era, foi persistentemente tentado por Satã para ganhar-lhe a alma.
Conta o autor que a maçã que Eva colhera tinha duas naturezas. Metade dela concentrava o pecado e todos os apetites e paixões. A outra metade concentrava a essência da bem aventurança, de toda a preguiça e de toda a paz. Adão e Eva haviam comido somente a parte do pecado e por isto foram dominados por um sentimento de culpa e por um desejo de expiação, transmitindo tudo isto aos seus descendentes, que amargavam o trabalho como castigo.
Matu certo dia encontrou a outra metade da maçã que Adão havia jogado fora quando expulso do Paraíso. Ao comê-la adormeceu, vindo a esquecer de todo o conhecimento e ficando sua alma livre dos pecados. Limpo e puro Matu recebeu toda a preguiça que existia no Paraíso, pois lá o jardim tudo dava sem que Adão e Eva necessitassem trabalhar.
Satã viu que as paixões estavam latentes na alma de Matu, mas sua indolência as impedia de nascer. Para despertá-las era necessário vencer a preguiça, fazendo Matu trabalhar. Ele que vivia em baixo de uma árvore da qual se alimentava e se abrigava sem nada fazer, teria que ser convencido a construir uma casa para morar e se Matu a fizesse nada mais o impediria de cair em perdição.
Trava-se a partir daí entre Satã e Matu um diálogo permanente sobre o valor do trabalho, sem que Satã saísse bem sucedido. Matu sempre tinha boas respostas para não trabalhar, ante as quais Satã se exasperava. Satã nunca precisara usar a razão para fazer os homens se perderem, pois lhes bastavam as paixões que eles traziam na sua natureza. Mas com Matu, era um duelo.
Até que Satã desistiu, o contato com Matu o corrompera. Satã e suas hostes se tornaram preguiçosos e como a preguiça é incompatível com a maldade, os diabos não atormentavam as almas E a Terra se transformara no Paraíso. Os homens livraram seus músculos do trabalho com as máquinas e com o poder da mente realizavam o que queriam. E tudo viera das virtudes da maçã, das fraquezas de Adão e da preguiça de Matusalém. Tudo isso aconteceu depois que Matu morreu.
Ailton Elisiario
Enviado por Ailton Elisiario em 14/02/2016
Comentários