AILTON ELISIÁRIO
Nulla dies sine linea
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
A MELHOR RELIGIÃO

O teólogo católico Leonardo Boff conta que certa vez indagou ao Dalai-Lama, líder budista mundialmente conhecido, qual seria a melhor religião. Com esta pergunta Boff esperava que ele lhe respondesse que era o budismo tibetano ou alguma das mais antigas religiões orientais. Perplexo, Boff ouviu do Dalai-Lama esta resposta: a melhor religião é aquela que te faz melhor.
Está aqui a exata compreensão do pluralismo religioso. A existência de várias religiões responde a uma variedade de pessoas com diferentes visões da vida. Se ele dissesse que o budismo é a melhor religião para todos, estaria desconhecendo que pessoas diferentes têm disposições mentais diferentes e, por isto, há que se ter a diversidade de religiões.
Se a diversidade religiosa é necessária porque responde às diferentes posições mentais das diferentes pessoas, o budismo é tão conveniente aos budistas quanto o islamismo aos muçulmanos, o judaísmo aos judeus e o cristianismo aos cristãos. Não há, pois, nenhuma religião melhor que outra, se não aquela que melhor satisfaça a espiritualidade de cada um e ao modo de bem servir ao semelhante.
Nenhuma religião ou igreja tem o direito de se impor sobre as demais como a melhor ou a verdadeira. As religiões são boas porque elas beneficiam as pessoas. Se cada uma delas faz a pessoa ser mais humana, há um critério ético em todas elas. A ética, neste caso, não é cristã, budista, maometana ou judaica, mas a ética humana, aquela que é aceita por todo ser humano.
Toda religião é digna de respeito, porque elas possibilitam a cada um desenvolver o que tem de melhor dentro de si, porque elas indicam o caminho da paz interior. Suas diferenças litúrgicas e doutrinárias não devem interferir na escolha das pessoas. As religiões decorrem das culturas dos povos que as estruturam segundo suas crenças e costumes. Em razão disto elas devem ser reconhecidas e legitimadas.
O proselitismo religioso é que se constitui o grande mal, pois na ânsia de se sobrepor às demais, cada religião torna-se o verdugo de todas as outras gerando conflitos e guerras. A melhor forma de se evitar tais violências é exatamente o respeito mútuo. Este é o caminho de aproximação dos fiéis dessas diferentes religiões para um trabalho comum em prol da humanidade.
Ailton Elisiario
Enviado por Ailton Elisiario em 22/02/2012
Comentários